Promon Engenharia participa de projeto do Centro Internacional de Transmissão, do Parque Olímpico

Publicado em 16/11/2015

Centro Internacional de Transmissão foi entregue pela prefeitura do Rio de Janeiro no dia 7/11

A Promon Engenharia participou da elaboração do projeto executivo de um empreendimento que ajudará a colocar o Brasil no mapa dos acontecimentos mundiais: trata-se do Centro Internacional de Transmissão - International Broadcast Centre (IBC), localizado no Parque Olímpico Rio 2016, no Rio de Janeiro. A obra finalizada foi entregue pela prefeitura do Rio de Janeiro no início do mês de novembro.

Contratada pela Concessionária Rio Mais (Construtora Norberto Odebrecht, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken), a Promon tinha como missão elaborar o projeto executivo do IBC: um prédio por onde circularão mais de 10 mil pessoas por dia durante a realização dos Jogos Olímpicos, com veiculações de TV e rádio sendo feitas diretamente do local para diversos países – o IBC vai funcionar 24 horas – e que deverá ter utilidade após os Jogos.

As obras para a construção do IBC tiveram início em março de 2013 e contaram com um avançado sistema de gestão de projetos e metodologias, as quais garantiram o cumprimento à risca do cronograma e de todos os requisitos solicitados pelo Comitê Olímpico Internacional.

O prédio, que foi projetado para funcionar como centro de imprensa durante os Jogos, e, futuramente, como área comercial, possui estruturas que impressionam. Sua área total é de 68 mil m², correspondente à metade do Anhembi, em São Paulo, maior centro de exposições da América Latina. O volume de concreto utilizado na construção chegou a 21 mil m³ – 1.215 estacas foram empregadas na estrutura. Para garantir o abastecimento de água, foram instalados oito reservatórios elevados de concreto com 522 toneladas de água cada, inteiramente dentro do IBC. A parte elétrica também recebeu atenção especial. A Promon elaborou um sofisticado projeto de distribuição e controle de energia, um potente sistema de ar condicionado para garantir uma temperatura interna constante de 20ºC e permitir a utilização ininterrupta de vários equipamentos, como computares e ilhas de edição, ao mesmo tempo.

Como redes de TV e rádio deverão fazer gravações dentro do prédio, é essencial também manter uma boa proteção contra ruídos. Para atender a essa demanda, foram projetadas paredes e cobertura com sistema antirruído. “As transmissões dos jornalistas precisam ser feitas mesmo que um helicóptero esteja passando por cima do IBC”, explica o engenheiro Graciano Amorim, gerente de projeto da Promon Engenharia.

Um dos maiores desafios dos engenheiros foi, no entanto, conceber o prédio de maneira a deixar um legado para o Rio de Janeiro, com a possibilidade de transformar sua estrutura numa área comercial após os Jogos. “Esse tipo de planejamento exige um estudo minucioso”, diz Tomnila Lacerda Motta, gerente de engenharia da Concessionária Rio Mais.

“As equipes de engenharia da Concessionária, AECOM e da Promon atuaram em forte sintonia para que esse objetivo fosse cumprido de forma ágil e eficiente”. A concepção do projeto demandou 35 000 horas de reuniões entre as equipes, estudos e cálculos. “A atenção e o cuidado dedicados pelos engenheiros da Promon e da Concessionária Rio Mais foram essenciais para chegarmos a um excelente resultado”, diz Amorim.

Para que o prédio possa ser futuramente modificado, foi necessário desenvolver uma infraestrutura especial. Ao invés de se utilizar vigas inteiriças, por exemplo, optou-se por conjuntos de vigas treliçadas, mais leves, com resistência maior e mais fácil de serem removidas. Para dar sustentação às vigas, foi adotada solução em pilares e fundações em aço especial. “Essas providências foram necessárias para que o prédio possa suportar modificações sem sofrer grandes impactos”, explica Amorim. “Fomos bem-sucedidos e estamos satisfeitos em deixar um legado importante para o Rio de Janeiro”, complementa.

FICHA TÉCNICA

A estrutura do IBC em números

Início da obra: Outubro de 2013
Entrega da obra: Novembro de 2015 
Área total construída do IBC e IBC Offices: 79 mil m²
Área total construída do edifício principal do IBC: 68 mil m²
Área total da cobertura: 32 mil m²
Capacidade diária durante os Jogos: 10 mil pessoas
Altura do prédio: 21 metros, com dois pavimentos. O primeiro tem 12 m de altura e o segundo, oito metros. 
Estúdios: 12 estúdios de aproximadamente 5 mil m²
Estacas metálicas na fundação: 1.215 unidades
Concreto total usado no IBC: 20 mil m³, sendo 11 mil m³ de concreto usinado especial, com adição de fibras de polipropileno
Steel Frame utilizado no fechamento interno e externo: 33 mil m²
Banheiros: 49, sendo 16 acessíveis a pessoas com deficiência
Número de pessoas que trabalharam na obra: 500
Escadas: 12 internas e 14 externas
Elevadores: 13, sendo 9 de carga (5 toneladas) e 4 de passageiros


Sobre a Promon Engenharia (www.promonengenharia.com.br)

Fundada em 1960, a Promon Engenharia, pertencente ao Grupo Promon, é uma empresa brasileira reconhecida por sua competência em engenharia, gerenciamento de empreendimentos e forte capacidade empreendedora. Sua atuação abrange prioritariamente projeto, integração e implementação de soluções complexas de infraestrutura para setores-chave da economia. Entre eles, destacam-se mineração e metalurgia, energia elétrica, óleo & gás, indústrias de processo e química e petroquímica.
Em seus 54 anos de atividade, a Promon Engenharia desenvolveu um dos mais expressivos conjuntos de projetos já realizados por uma empresa nacional nas áreas de infraestrutura. Neste período, participou de iniciativas que trouxeram impactos diretos para o desenvolvimento do país, como a construção de refinarias de petróleo, unidades petroquímicas, terminais marítimos, usinas geradoras de energia e seus sistemas de transmissão, plantas siderúrgicas e de mineração, indústrias automotiva e aeronáutica, implantação de redes de telefonia, edificações comerciais, além de grandes projetos ferroviários, rodoviários e de transportes urbanos.
O destaque como “Empresa do Ano”, conquistado pelo Grupo Promon, na edição de 2011 do anuário “Melhores e Maiores” da revista Exame, a presença constante do Grupo nos rankings das melhores empresas para se trabalhar e  das empresas-modelo em sustentabilidade empresarial, conquistas como o Prêmio “MAKE – Most Admired Knowledge Enterprises” e o “Top of Mind em Gerenciamento de Projetos” do PMI – Project Management Institute, além do recebimento do Prêmio Nacional da Qualidade da Fundação Nacional da Qualidade, em 2007, demonstram a solidez de suas práticas de gestão e o sucesso do modelo empresarial do Grupo.


​​​